Fiéis homenageiam Nossa Senhora Aparecida com festa de emocionar

Publicado em: 13-10-18


Quando fé e tradição se unem o resultado enche os olhos, comove e alegra o coração.

 

História

 

 

A Novena e Festa em honra a Nossa Senhora Aparecida durou dez dias, mas vem de uma tradição de 25 anos ininterruptos – marca profunda da religiosidade da Comunidade Nossa Senhora da Conceição, uma das três pertencentes à Paróquia Nossa Senhora da Saúde.

 

Como se percebe, Maria fala intimamente a estas comunidades, em cada qual aclamada com um título diferente.

 

No bairro Conceição, desde a edificação da Igreja, entre os anos de 1965 e 1970, a comunidade sempre demonstrou apreço, nas suas mais diversas maneiras, pelo louvor a Deus. Aqui, eram comum as rezas nas casas, os terços, a visita da folia do Divino Espírito Santo, a procissão da Sexta-feira Santa, as encenações sobre o nascimento de Jesus e sobre a Paixão e Morte de Cristo. As atividades religiosas sempre atraíram moradores de várias localidades demonstrando o espírito de comunhão que permeia a trajetória da Comunidade de Nossa Senhora da Conceição.

 

As comemorações em honra a Padroeira do Brasil começaram, nesta comunidade, há mais de 25 anos, inicialmente, sem regularidade. Tomou corpo, arrebanhou os devotos da Mãe Aparecida e, após duas décadas e meia, ela foi incorporada ao calendário local das festas religiosas.

 

Novena - 2018

 “As pessoas estão em busca de oração” – assim definiu Rosália Aparecida Costa (Dainha), coordenadora da comunidade, uma das motivações que levou tantos fiéis a participarem das festividades deste ano.

 

A novena começou no dia 3 de outubro. Uma caminhada com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, acompanhada pelo grupo de marujos Nossa Senhora do Rosário, abriu o primeiro dia. Durante todos os dias da novena os fiéis participaram da Celebração da Palavra ou da Santa Missa.

 

No sétimo dia, a Missa foi presidida pelo bispo Dom Marco Aurélio Gubiotti e culminou com a participação das crianças no significativo e belo momento da coroação de Nossa Senhora. Padre Nailson Mangabeira também foi um dos celebrantes durante a semana. E no mês em que o Papa Francisco convocou os católicos do mundo inteiro para rezarem diariamente o terço, a Comunidade Nossa Senhora da Conceição fez sua parte.

 

 

 

A novena contou com a colaboração de várias pastorais e movimentos, além de representantes das comunidades da Vila Amélia, Nossa Senhora da Saúde e Abóboras – o que reafirma a importância da comunhão entre os irmãos, no objetivo maior de cumprir a determinação do Senhor: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15).

 

Ao longo da caminhada, que teve como tema central “Virgem Maria, inspiração para os leigos no seguimento de Jesus”, muitas foram as bênçãos e, até mesmo, transformações.

 

 

Cristiano Augusto Gomes, técnico em mineração, mudou para o bairro com a família em fevereiro. Foi a primeira vez que participou de uma novena completa. E mesmo sendo morador há pouco tempo, foi um dos que abrigou em casa a imagem de Nossa Senhora Aparecida: “A casa fica diferente com a presença de Nossa Senhora. Tudo começa a fluir, fica mais leve, até as atividades rotineiras ficam diferentes com a presença de outra pessoa, sobretudo, a de uma visita ilustre. O comportamento da gente muda, somos transformados”.

 

 

 

 

 

 

Encerramento

O Senhor não se preocupa com os detalhes, mas é certo que se alegra com o cuidado do seu povo ao glorificá-Lo. Maria é aquela que também nos ajuda nessa missão.

 

De maneira muita carinhosa, a comunidade da Conceição se preocupou com cada detalhe para a festa de encerramento: do tapete de serragem no adro da Igreja, à chuva de pétalas derramadas sobre a imagem de Nossa Senhora, vinda em procissão do bairro Abóboras.

 

 

 

A festa começou cedo. Das 9h às 12h, o público foi mirim, afinal, 12 de outubro, também é o dia delas. As crianças passaram a manhã entre pula-pula, escorregador e atividades lúdicas. Todas ganharam guloseimas e brinquedos que foram arrecadados pela própria comunidade.

 

Sophia Sthefany, de apenas 12 anos, levantou cedo. Pulou da cama às 6 da manhã para ajudar nos preparativos da festa para as crianças. Participou da novena durante a semana, mas o que mais lhe encantou aconteceu no encerramento: “a entrada de Nossa Senhora, ver a Igreja cheia”. A pequenina, com fala e responsabilidade que vão além da sua idade, é fiel devota de Nossa Senhora. Comunicativa, diz que reza para a Mãezinha todos os dias. Durante o bate-papo, se lembrou de um dia muito especial: “Teve uma vez que participei da reza das 3 mil Ave-Marias; quase fiquei sem voz”.

 

 

 

Maria é, sem dúvida, “o sinal bonito de um Deus que se debruça como mãe sobre os simples, humildes e sofredores" (Pe. José Antônio Oliveira). É aquela que nos apresenta um caminho dócil e suave em direção ao seu Filho.

 

Padre Flávio Assis, que presidiu a Missa de encerramento, destacou, durante a homilia, várias características de Maria, entre elas a docilidade e a capacidade de ‘restaurar a alegria’, como aconteceu nas bodas de Caná. A festa de casamento, momento de grande celebração, poderia ter chegado ao fim quando o vinho acabou. Mas pela intercessão da Mãe, o Filho, grande transformador dos corações, transformou água em vinho, restaurando a alegria nas bodas.

 

O pároco ainda fez um alerta sobre esses tempos conturbados, de violências, provocações e agressões verbais: “Maria sabia quando falar e quando silenciar; que assim como retomou a alegria nas bodas de Caná, possa interceder pelo Brasil, pelas crianças, pelas famílias... restaurando em todos nós a alegria”.

 

 

Ao final da celebração, os fiéis se consagraram a Nossa Senhora Aparecida em um instante festivo e comovente. E, mesmo após a missa, muita gente adiou a volta pra casa, celebrando a alegria nas barraquinhas, em um gesto de comunhão e fraternidade.

 

 

Assessoria de Comunicação

 

 

Outras fotos e registros sobre a festa estão disponíveis em nossa página no facebook: https://www.facebook.com/pg/pnssitabira/photos/?tab=album&album_id=2187252211306167

 

Destaques

Foto de Exibição
O amor acima de tudo e todos

Foto de Exibição
"Somos caminheiros"

Foto de Exibição
O mundo necessita de princípios que favoreçam o diálogo

Foto de Exibição
O esforço da sinodalidade

Foto de Exibição
Quando entrar setembro...


Fiéis homenageiam Nossa Senhora Aparecida com festa de emocionar



Publicado em: 13-10-18


Quando fé e tradição se unem o resultado enche os olhos, comove e alegra o coração.

 

História

 

 

A Novena e Festa em honra a Nossa Senhora Aparecida durou dez dias, mas vem de uma tradição de 25 anos ininterruptos – marca profunda da religiosidade da Comunidade Nossa Senhora da Conceição, uma das três pertencentes à Paróquia Nossa Senhora da Saúde.

 

Como se percebe, Maria fala intimamente a estas comunidades, em cada qual aclamada com um título diferente.

 

No bairro Conceição, desde a edificação da Igreja, entre os anos de 1965 e 1970, a comunidade sempre demonstrou apreço, nas suas mais diversas maneiras, pelo louvor a Deus. Aqui, eram comum as rezas nas casas, os terços, a visita da folia do Divino Espírito Santo, a procissão da Sexta-feira Santa, as encenações sobre o nascimento de Jesus e sobre a Paixão e Morte de Cristo. As atividades religiosas sempre atraíram moradores de várias localidades demonstrando o espírito de comunhão que permeia a trajetória da Comunidade de Nossa Senhora da Conceição.

 

As comemorações em honra a Padroeira do Brasil começaram, nesta comunidade, há mais de 25 anos, inicialmente, sem regularidade. Tomou corpo, arrebanhou os devotos da Mãe Aparecida e, após duas décadas e meia, ela foi incorporada ao calendário local das festas religiosas.

 

Novena - 2018

 “As pessoas estão em busca de oração” – assim definiu Rosália Aparecida Costa (Dainha), coordenadora da comunidade, uma das motivações que levou tantos fiéis a participarem das festividades deste ano.

 

A novena começou no dia 3 de outubro. Uma caminhada com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, acompanhada pelo grupo de marujos Nossa Senhora do Rosário, abriu o primeiro dia. Durante todos os dias da novena os fiéis participaram da Celebração da Palavra ou da Santa Missa.

 

No sétimo dia, a Missa foi presidida pelo bispo Dom Marco Aurélio Gubiotti e culminou com a participação das crianças no significativo e belo momento da coroação de Nossa Senhora. Padre Nailson Mangabeira também foi um dos celebrantes durante a semana. E no mês em que o Papa Francisco convocou os católicos do mundo inteiro para rezarem diariamente o terço, a Comunidade Nossa Senhora da Conceição fez sua parte.

 

 

 

A novena contou com a colaboração de várias pastorais e movimentos, além de representantes das comunidades da Vila Amélia, Nossa Senhora da Saúde e Abóboras – o que reafirma a importância da comunhão entre os irmãos, no objetivo maior de cumprir a determinação do Senhor: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15).

 

Ao longo da caminhada, que teve como tema central “Virgem Maria, inspiração para os leigos no seguimento de Jesus”, muitas foram as bênçãos e, até mesmo, transformações.

 

 

Cristiano Augusto Gomes, técnico em mineração, mudou para o bairro com a família em fevereiro. Foi a primeira vez que participou de uma novena completa. E mesmo sendo morador há pouco tempo, foi um dos que abrigou em casa a imagem de Nossa Senhora Aparecida: “A casa fica diferente com a presença de Nossa Senhora. Tudo começa a fluir, fica mais leve, até as atividades rotineiras ficam diferentes com a presença de outra pessoa, sobretudo, a de uma visita ilustre. O comportamento da gente muda, somos transformados”.

 

 

 

 

 

 

Encerramento

O Senhor não se preocupa com os detalhes, mas é certo que se alegra com o cuidado do seu povo ao glorificá-Lo. Maria é aquela que também nos ajuda nessa missão.

 

De maneira muita carinhosa, a comunidade da Conceição se preocupou com cada detalhe para a festa de encerramento: do tapete de serragem no adro da Igreja, à chuva de pétalas derramadas sobre a imagem de Nossa Senhora, vinda em procissão do bairro Abóboras.

 

 

 

A festa começou cedo. Das 9h às 12h, o público foi mirim, afinal, 12 de outubro, também é o dia delas. As crianças passaram a manhã entre pula-pula, escorregador e atividades lúdicas. Todas ganharam guloseimas e brinquedos que foram arrecadados pela própria comunidade.

 

Sophia Sthefany, de apenas 12 anos, levantou cedo. Pulou da cama às 6 da manhã para ajudar nos preparativos da festa para as crianças. Participou da novena durante a semana, mas o que mais lhe encantou aconteceu no encerramento: “a entrada de Nossa Senhora, ver a Igreja cheia”. A pequenina, com fala e responsabilidade que vão além da sua idade, é fiel devota de Nossa Senhora. Comunicativa, diz que reza para a Mãezinha todos os dias. Durante o bate-papo, se lembrou de um dia muito especial: “Teve uma vez que participei da reza das 3 mil Ave-Marias; quase fiquei sem voz”.

 

 

 

Maria é, sem dúvida, “o sinal bonito de um Deus que se debruça como mãe sobre os simples, humildes e sofredores" (Pe. José Antônio Oliveira). É aquela que nos apresenta um caminho dócil e suave em direção ao seu Filho.

 

Padre Flávio Assis, que presidiu a Missa de encerramento, destacou, durante a homilia, várias características de Maria, entre elas a docilidade e a capacidade de ‘restaurar a alegria’, como aconteceu nas bodas de Caná. A festa de casamento, momento de grande celebração, poderia ter chegado ao fim quando o vinho acabou. Mas pela intercessão da Mãe, o Filho, grande transformador dos corações, transformou água em vinho, restaurando a alegria nas bodas.

 

O pároco ainda fez um alerta sobre esses tempos conturbados, de violências, provocações e agressões verbais: “Maria sabia quando falar e quando silenciar; que assim como retomou a alegria nas bodas de Caná, possa interceder pelo Brasil, pelas crianças, pelas famílias... restaurando em todos nós a alegria”.

 

 

Ao final da celebração, os fiéis se consagraram a Nossa Senhora Aparecida em um instante festivo e comovente. E, mesmo após a missa, muita gente adiou a volta pra casa, celebrando a alegria nas barraquinhas, em um gesto de comunhão e fraternidade.

 

 

Assessoria de Comunicação

 

 

Outras fotos e registros sobre a festa estão disponíveis em nossa página no facebook: https://www.facebook.com/pg/pnssitabira/photos/?tab=album&album_id=2187252211306167

 

Destaques

Foto de Exibição
O amor acima de tudo e todos

Foto de Exibição
"Somos caminheiros"

Foto de Exibição
O mundo necessita de princípios que favoreçam o diálogo

Foto de Exibição
O esforço da sinodalidade

Foto de Exibição
Quando entrar setembro...