"Somos caminheiros"

Publicado em: 10-11-18


Viver bem,

Viver de bem,
Para morrer/ partir bem!

Se não se vive bem e de bem com Deus, com os outros e consigo mesmo, não é possível morrer/partir bem.


Não escolhemos onde nascer, nem quando e nem onde; também não sabemos onde estaremos, nem como e nem quando partiremos.


Desde toda a eternidade já estava prevista nossa vinda/passagem por este mundo e a duração da mesma. Digo passagem, porque nossa vida não termina com a morte e depois da morte/passagem não começamos outra vida. A vida não termina com a falência total de nossos órgãos, ela continua não de forma física. Não existe vida depois da morte, a vida continua apesar da morte de nosso corpo. “Nós, porém, somos cidadãos dos céus. É de lá que ansiosamente esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará nosso mísero corpo, tornando-o semelhante ao seu corpo glorioso, em virtude do poder que tem de sujeitar a si toda criatura” (Fl 3,19-20).

 

Aqui neste planeta estamos de passagem. Para aqui viemos, “nascemos”. Muitos de nós fomos esperados com carinho, houve preparativos para nossa vinda. Conforme a posse de nossos pais até um quarto com móveis novos encontramos quando chegamos.


Alguns tiveram uma viagem traumática (gestação de risco). Outros tiveram uma chegada difícil (parto com complicações, prematuro). Outros vieram por acidente (gravidez precoce, sexo ocasional), acidente por parte dos pais. Viemos e não trouxemos bagagens. Conforme as condições econômicas de nossos pais, tivemos ou não enxoval. Se nossos pais sabiam de antemão nosso gênero, tivemos roupas apropriadas ou não. “Nu saí do ventre de minha mãe, nu voltarei. O Senhor deu o Senhor tirou: bendito seja o nome do Senhor!” (Jó 1,21).

 

Viemos de Deus e para Deus voltaremos. Aqui chegamos. Alguns chegam e voltam logo, outros nem chegam a “chegar” e voltam no meio da viagem. E outros são forçados a voltarem no meio da viagem (aborto). Outros permanecem certo tempo por aqui e depois retornam, outros "decidem" voltar antes da hora e põem fim à sua viagem, outros ficam por mais tempo. Todos voltaremos para Casa. “Na Casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, e eu vos teria dito; pois vou preparar-vos um lugar" (Jo 14,2).

 

Viemos de lá, não somos daqui e às vezes sentimos saudades de lá. Viemos e não trazemos “nada”. Nada de material, trazemos lembranças de vivências passadas enquanto estávamos viajando para cá (experiências vividas e sentidas enquanto estávamos sendo gestados no ventre materno), por isso sonhamos de vez em quando com fatos e situações que parecem desconhecidas para nós. Também às vezes sentimos saudades que não sabemos de que ou de onde.

 

Um dia vamos voltar e não levaremos nada ou quase nada conforme as circunstâncias de nossa partida, mas levaremos as lembranças e as vivências deste tempo em que estamos nesta viagem, longe de nossa Casa Paterna/Materna.


Cada irmão e irmã são nossos companheiros de viagem. Somos viajantes/caminheiros. O irmão/irmã que passa por nós sem ser notado e até é vítima de nosso desprezo/indiferença/ invencibilidade pode ser aquele(a) que vai nos receber na entrada da Casa Paterna/Materna e seremos convidados a entrar ou não. Lembramos do que nos disse Jesus: "Tudo o que fizestes ao um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizestes"(Mt 25,40).
 

Uma boa viagem, tempos felizes enquanto estamos aqui!

Uma volta feliz para todos nós quando chegar a hora de deixar tudo e voltarmos para a Casa de nosso(a) Pai/Mãe. Que sejamos bem acolhidos em nossa chegada!

 

Axé!
Pe. Eugênio Ferreira de Lima

 

Foto: Hero's Odyssey Mythology  Photography

Destaques

Foto de Exibição
Testando quantidade de cadastro

Foto de Exibição
Dia do pobre: não discursos, mas atitudes!

Foto de Exibição
O amor acima de tudo e todos

Foto de Exibição
"Somos caminheiros"

Foto de Exibição
O mundo necessita de princípios que favoreçam o diálogo


"Somos caminheiros"



Publicado em: 10-11-18


Viver bem,

Viver de bem,
Para morrer/ partir bem!

Se não se vive bem e de bem com Deus, com os outros e consigo mesmo, não é possível morrer/partir bem.


Não escolhemos onde nascer, nem quando e nem onde; também não sabemos onde estaremos, nem como e nem quando partiremos.


Desde toda a eternidade já estava prevista nossa vinda/passagem por este mundo e a duração da mesma. Digo passagem, porque nossa vida não termina com a morte e depois da morte/passagem não começamos outra vida. A vida não termina com a falência total de nossos órgãos, ela continua não de forma física. Não existe vida depois da morte, a vida continua apesar da morte de nosso corpo. “Nós, porém, somos cidadãos dos céus. É de lá que ansiosamente esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará nosso mísero corpo, tornando-o semelhante ao seu corpo glorioso, em virtude do poder que tem de sujeitar a si toda criatura” (Fl 3,19-20).

 

Aqui neste planeta estamos de passagem. Para aqui viemos, “nascemos”. Muitos de nós fomos esperados com carinho, houve preparativos para nossa vinda. Conforme a posse de nossos pais até um quarto com móveis novos encontramos quando chegamos.


Alguns tiveram uma viagem traumática (gestação de risco). Outros tiveram uma chegada difícil (parto com complicações, prematuro). Outros vieram por acidente (gravidez precoce, sexo ocasional), acidente por parte dos pais. Viemos e não trouxemos bagagens. Conforme as condições econômicas de nossos pais, tivemos ou não enxoval. Se nossos pais sabiam de antemão nosso gênero, tivemos roupas apropriadas ou não. “Nu saí do ventre de minha mãe, nu voltarei. O Senhor deu o Senhor tirou: bendito seja o nome do Senhor!” (Jó 1,21).

 

Viemos de Deus e para Deus voltaremos. Aqui chegamos. Alguns chegam e voltam logo, outros nem chegam a “chegar” e voltam no meio da viagem. E outros são forçados a voltarem no meio da viagem (aborto). Outros permanecem certo tempo por aqui e depois retornam, outros "decidem" voltar antes da hora e põem fim à sua viagem, outros ficam por mais tempo. Todos voltaremos para Casa. “Na Casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, e eu vos teria dito; pois vou preparar-vos um lugar" (Jo 14,2).

 

Viemos de lá, não somos daqui e às vezes sentimos saudades de lá. Viemos e não trazemos “nada”. Nada de material, trazemos lembranças de vivências passadas enquanto estávamos viajando para cá (experiências vividas e sentidas enquanto estávamos sendo gestados no ventre materno), por isso sonhamos de vez em quando com fatos e situações que parecem desconhecidas para nós. Também às vezes sentimos saudades que não sabemos de que ou de onde.

 

Um dia vamos voltar e não levaremos nada ou quase nada conforme as circunstâncias de nossa partida, mas levaremos as lembranças e as vivências deste tempo em que estamos nesta viagem, longe de nossa Casa Paterna/Materna.


Cada irmão e irmã são nossos companheiros de viagem. Somos viajantes/caminheiros. O irmão/irmã que passa por nós sem ser notado e até é vítima de nosso desprezo/indiferença/ invencibilidade pode ser aquele(a) que vai nos receber na entrada da Casa Paterna/Materna e seremos convidados a entrar ou não. Lembramos do que nos disse Jesus: "Tudo o que fizestes ao um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizestes"(Mt 25,40).
 

Uma boa viagem, tempos felizes enquanto estamos aqui!

Uma volta feliz para todos nós quando chegar a hora de deixar tudo e voltarmos para a Casa de nosso(a) Pai/Mãe. Que sejamos bem acolhidos em nossa chegada!

 

Axé!
Pe. Eugênio Ferreira de Lima

 

Foto: Hero's Odyssey Mythology  Photography

Destaques

Foto de Exibição
Testando quantidade de cadastro

Foto de Exibição
Dia do pobre: não discursos, mas atitudes!

Foto de Exibição
O amor acima de tudo e todos

Foto de Exibição
"Somos caminheiros"

Foto de Exibição
O mundo necessita de princípios que favoreçam o diálogo